Minha Vida como Celebridade Cientologista

Clique AQUI para abrir o índice dos posts mais importantes a respeito da organização criminosa autodenominada religião (O que é Cientologia, Dianética, Quem foi seu fundador L. Ron Hubbard, O Grande Segredo da Cientologia)

Harmon Leon

Harmon Leon é antes de tudo um humorista. Ele já fez apresentações de “stand-up comedy”, escreveu matérias para a Wired Magazine, Salon.com, National Lampoon e NPR. Ele também produz vídeos para o canal independente Current TV, do vencedor do Emmy, ativista e ex-vice Presidente dos Estados Unidos Al Gore.

O estilo típico de agir de Harmon é criar um personagem, infiltrar-se em alguma organização e depois escrever sobre a experiência, mantendo o bom humor e relatando os absurdos da vida moderna.

Para ler algumas das infiltrações hilárias de Harmon Leon (em inglês), como por exemplo “Como ser Despedido do Jack in the Box (rede de fast food norte americana)”, “Vidente por Telefone” ou sua infiltração na convenção de ufólogos, clique aqui.

Você já deve ter adivinhado qual é o nosso interesse em Harmon Leon, aqui em particular.

Em 1995, ele inventou um famoso cantor de rock da Alemanha e hospedou-se no Scientology Celebrity Center (Centro de Celebridades da Scientology). A sua experiência foi publicada pela Met, e aqui você poderá ler a versão traduzida para português. Divirtam-se com essa corajosa e engraçada viagem.

Minha Vida como uma Celebridade Scientologist

Decidi hospedar-me no Celebrity Center em Los Angeles – um retiro da Scientology para os ricos e famosos. Certifiquei-me de que meus amigos saberiam para onde eu estava indo. E quando deveriam ir me resgatar.

Por Harmon Leon

Faço da minha entrada no Celebrity Center uma entrada de estrela do rock. Eu sou a única pessoa de “rastafári” (dreadlock), vestido de preto e fumava como uma chaminé. Eu tenho que admitir que é um hotel lindo. Todos os empregados estão vestindo roupas idênticas, com camisas brancas, gravatas e bermudas combinando (gravatas femininas curtinhas e saias para as mulheres). Todos movimentam-se rapidamente, como pequenas formigas operárias da Scientology. Para que tudo dê certo, torço para que ninguém saiba falar alemão.

Grito: “Ya! Dieter Lietershvantz… chegou!” enquanto faço uma pose com meu violão.

Sim, Sr. Lietershvantz. Nós o estávamos aguardando,” diz uma sorridente mulher por trás da recepção. Ela adentra o escritório, e eu decido me certificar de que todos percebam a minha presença.

Sr. Lietershvantz está aqui!” eu grito.

Procuro um lugar para apagar meu cigarro.

Um homem gordo e sorridente sai do escritório. Sou informado de que seu nome é Leonard.

Olá, Sr. Lietershvantz,” diz ele enquanto oferece sua grande e suada mão. “Permita-me acompanhá-lo ao seu quarto.

Apesar de todos estarem sorrindo, eu sinto uma tensão no ar. O suado Leonardo pergunta de onde sou. Eu respondo que sou de Flusserberg, Alemanha. Temos tempo suficiente para um bate-papo enquanto pegamos o elevador mais lento conhecido pela humanidade.

Você é um Scientologist, Dieter?

Não, eu sou músico” e aponto para o meu violão. “O empresário do Nein! Nein! Nein! acha que Dieter deveria se hospedar aqui.” Dou um tapinha no meu peito.

Isso deixa Leonardo feliz. “Muitas pessoas da indústria do entretenimento se hospedam aqui,” diz ele. “John Travolta, Tom Cruise, Kirstie Alley.

Ela não era aquela empregada no ‘Gimme a Break?’, pergunto.

Atriz Nell Carter, a empregada de ‘Gimme a Break’

Não, Cheers.

Aah.

O elevador chega ao meu andar.

Este hotel foi construído em 1927. Muitas celebridades legendárias visitaram este lugar. Clark Gable, Bette Davis, Errol Flynn…

E quanto à Helga Wassenstein?

Quem?

Atriz alemã, muito famosa no meu país.

Não que eu saiba.

Helga é, talvez… o Kirstie Alley do Alemanha.

Ele ri. Chegamos ao meu quarto e Leonard apresenta minha camareira pessoal, uma mulher chamada Beatrice. Eu já havia sido apresentado a três pessoas nos primeiros cinco minutos, todos com sorrisos semelhantes. Beatrice explica como o quarto funciona com entusiasmo. “A TV é ligada desta forma. E este é o chuveiro… blá, blá, blá.

Beatrice é uma mulher de origem européia sem nenhuma característica peculiar. Ela indaga sobre meu sotaque.

De onde você é, Sr. Lietershvantz?

Alemanha!

Adivinhe só! A terceira pessoa que eu conheço nos primeiros cinco minutos fala alemão fluentemente. Ela começa a falar alemão com intensidade, mais rápido que uma cerveja ‘hall frau’. “Ich Bin Ein Shvant Fchuv… et cetera.

Eu a deixo terminar, faço uma pausa por um momento e meu coração bate forte.

Aah! É tom bom ouvir alemão de novo!

Eu fico com os olhos marejados e praticamente abraço ela. É como se eles soubessem de minha missão na Scientology e programaram a Beatrice para me testar. Mas isso poderia ter acontecido? Eu assisti a quatro episódios de Hogan’s Heroes para aperfeiçoar este sotaque.

Hogan’s Heroes fala de um grupo de soldados presos em uma prisão nazista,

onde os soldados falavam inglês com um forte sotaque alemão.

Antes de sair, Beatrice sorri e me faz questão de me lembrar de que eu posso pedir um tour completo pelo Scientology Celebrity Center na recepção. “Danka shane”, respondo.

Após comer todas as frutas de cortesia, retorno à recepção. Uma mulher sorridente chamada Lilian me cumprimenta. Eu mostro meu desapontamento por ela não reconhecer um pop star da minha magnitude. Ela me leva até um escritório onde eu sou apresentado à Rosemary, uma mulher enorme, jovial e usando o mesmo tipo de uniforme.

Ficamos a sós, Rosemary e eu, em um escritório que parece uma loja de artigos de presente. Eu sinto como se estivesse em um daqueles filmes de ficção científica, onde o mocinho abre a porta e descubro que todo os outros foram substituídos por robôs.

Então você é um músico, Dieter? Que tipo de música você toca?” ela pergunta.

Gótica-syntho-rock-industrial”, respondo.

Rosemary parece confusa mas continua sorrindo.

Oh, é maravilhoso.” “Eu vai regravar ‘Safety Dance.’ Você lembra do ‘Safety Dance’?”. Canto alguns trechos. Ela sorri mas diz que não. O contato dos olhos de Rosemary cresce com força. “Muitos artistas estão envolvidos com a Scientology. John Travolta, Tom Cruise, Kirstie Alley…

Sim, o mulher de ‘Full House‘!

Não, Cheers.

Eu dou um soco na mesa.

Eu não sei quem ela é!

Safety Dance, o original do Men Without Hats

Elenco de Full House. Não, Kirstie Alley não estava nesta série.

__________________________________

O Exame de Dieter

Deixamos o escritório e começamos um grande tour pela Celebrity Center. Eu sigo os calcanhares da Rosemary, resmungando em alemão de mentirinha. Ela me mostra tudo, desde a sala de ginástica até as placas com gravuras da filosofia de L. Ron Hubbard.

Estranhamente, eu não sou o único andando de lá para cá com um violão preso no pescoço.

Quem sugeriu a Scientology para você?” ela pergunta.

Eu sou pego de surpresa.

Aah… Lyle… Lyle… Wegger. Ele é do Achtung Records.

Nós chegamos a um quarto vago do hotel no quarto andar. Oh-oh, é aqui que vai acontecer:

Cenário #1: eu entro no quarto. A porta atrás de mim é trancada. Um cobertor é jogado sobre mim e capangas da Scientology saem de dentro do armário e começam a me espancar com bastões enormes. Quando eu recobrar a consciência, estarei acorrentado à cama, vestido com pijamas esquisitos. Um holograma de L. Ron Hubbard de tamanho real estrá amaldiçoando meu nome. Eu não serei libertado até começar a me dirigir a ele como “Mein Furor”; ou…

Cenário #2: Eu entro no quarto. A porta atrás de mim é trancada. A enorme e jovial Rosemary tira a roupa imediatamente. Pulando na cama, Rosemary diz, “tudo isto pode ser seu se você se entregar para a Scientology.

Mas ao invés disso, nós continuamos até uma sala bem decorada no primeiro andar. Ali há uma mesa grande, uma prateleira de livros e muitas fotos de barcos nas paredes.

E este é o escritório de L. Ron Hubbard” ela diz.

O verdadeiro escritório usado por L. Ron Hubbard?” pergunto. É como estar no quarto de Jesus.

Não. Cada centro da Scientology tem um escritório para L. Ron Hubbard, decorado de um jeito que ele gostaria” ela responde.

Oh, então o escritório era usado quando ele estava hospedado, ya?” pergunto.

Não. Ele morreu antes deste hotel ser reformado” ela responde.

Alguém deveria avisar a esta mulher que homens mortos não precisam de escritórios. Especialmente um escritório construído após a sua morte.

Nós voltamos ao escritório/loja de presentes de Rosemary, onde ela me apresenta ao E-Meter (um artefato religioso criado por L. Ron Hubbard, para ser operado apenas por um Ministro da Scientology, apesar de eu ter visto antes um sendo vendido no Catálogo de Feriado da Scientology por U$ 5.400,00).

Segure nos dois eletrodos, e seu estado mental será checado no E-Meter” ela diz.

Rosemary ganha minha atenção. Eu espero que isto não apague as memórias de Harmon Leon.

Lembre-se de uma experiência traumática” ela pede.

Eu penso em filhotinhos de animais e arco-íris.

Rosemary aponta para o E-Meter. “Veja! Você pode ver o registro da experiência traumática aqui. Nossos cursos podem eliminar a dor causada por aquela lembrança. Agora lembre-se de uma experiência agradável.

Eu imagino um holocausto nuclear.

O E-Meter registra agora que você está feliz com essa lembrança. Agora deixe-me entregar seu teste de personalidade.

Eu recebo um questionário de 200 perguntas.

Talvez você queira um questionário em alemão.

Sou pego de surpresa. Eu quase solto uma risada.

Não, em ‘inglês’ está ótimo.

Ao começar a responder ao teste, tenho a desagradável sensação de que Rosemary foi até o meu quarto e está vasculhando minhas coisas. Eu temo que em 10 minutos ela retornará segurando um arquivo com meu nome, gritando, “nós sabemos quem você realmente é, Sr. Lietershvantz! Ou seria… Sr. Leon?

Eu rapidamente termino o questionário antes de que tudo vá por água abaixo. As questões são manipuladas de forma que se você responder errado, você será considerado uma pessoa corrupta social e moralmente.

Elas incluem: “Você puniria fisicamente uma criança, de dez anos de idade, se ela se recusar a te obedecer?”; “As pessoas gostam de sua companhia?”; “Você sente-se deprimido com freqüência?”; “Você é a favor da distinção de classes?”; e “Você alimenta-se devagar?

__________________________________

Dieter se emociona

Após algum tempo, Rosemary retorna. Ela está escondendo o fato de que acabara de vasculhar o meu quarto. O teste começa a ficar entediante. Eu levanto a minha mão.

Ya! Dieter gostaria de completar este teste em alemão!

Ela me entrega a versão deste questionário lunático escrita em alemão. Eu termino rapidamente. Rosemary insere os resultados em um computador. Enquanto esperamos, eu informo a ela meus objetivos.

Dieter será maior do que David Hasselhoff!” eu digo enquanto bato com o punho fechado na mesa.

David Hasselhof

Os resultados estão prontos e ela balança a cabeça. Eu levanto meu braço e aponto para o teto.

O ‘Safety Dance’ de Dieter será a número 1!

Vamos antes falar sobre o seu resultado” ela diz.

Ya!

Nós entramos em um pequeno quarto, grande o suficiente apenas para caber uma mesa. Rosemary fecha a porta.

Dieter, este é o pior resultado de teste de personalidade que eu já vi.

Eu me sinto honrado.

Esta seção do gráfico determina que você teve uma experiência traumática na infância. Dieter, qual foi essa experiência traumática na infância?

Há uma grande caixa de Kleenex (lenços descartáveis) do lado da mesa. Eu acho que eles esperem que você chore enquanto eles se divertem com suas inseguranças.

Minha mãe..

Sim?

Ela foi esmagada…

De acordo com Rosemary, eu ainda estou carregando essa bagagem emocional comigo. É o que o gráfico mostra.

E também… não deixavam Dieter assistir televisão!

Isso recebe menos resposta do que o trauma materno. Rosemary explica que eu sou instável, deprimido e anti-social.

Dieter, é verdade que algumas vezes você não liga para os sentimentos dos outros?

Eu reviro os olhos.

Nós temos cursos que podem ajudar você a lidar com seus traumas de infância e depressões,” ela diz.

Mas a música de Dieter é sobre traumas de infância e depressões. Ouça o álbum ‘Um Caixão em Casa’.

Nossos cursos podem tornar sua música muito melhor. Você irá se encontrar escrevendo sobre coisas novas.

Se Franz Kafka não estivesse deprimido, seus textos seriam tão bons?

O sorriso de Rosemary cresce. Ela acha que irá ganhar espaço com seus argumentos.

Eu acho que seriam melhor ainda. Ele teria um mundo novo de coisas para escrever a respeito!

Eu peço a ela para ouvir seu último ‘album’, ‘The Metamorphosis.’

O contato dos olhos de Rosemary fica mais intenso. Ela volta ao gráfico.

Há alguém que você sinta que está te impedindo de alcançar os seus objetivos? Talvez você sinta-se esmagado por essa pessoa?” Ela pressiona o polegar na mesa para enfatizar sua pergunta.

Ya! É o meu empresário!” Eu faço cara de bravo.

E o que ele fez?” Ela ainda está pressionando o polegar contra a mesa.

Ele quer mudar o nome da minha banda de Nein! Nein! Nein! (Não! Não! Não!) para Ya! Ya! Ya! (Sim! Sim! Sim!). Ele diz que eu deveria ser como o Falco (músico alemão falecido em 1998) e gravar músicas românticas.

__________________________________

O Interrogatório de Dieter

Rosemary pensa que é hora de me apresentar a outra pessoa. Nos dirigimos para outro escritório, ocupado por uma mulher sorridente de nome Karen, que está usando roupas idênticas a de Rosemary. Eu presumo que Karen é uma scientologist importante, porque o escritório dela é quase tão bom quanto o escritório não utilizado de L. Ron Hubbard. Karen me pergunta quem me falou sobre Scientology.

Aah… Glen Turner.

Rosemary interrompe. É a primeira vez que ela não está sorrindo.

Você não havia dito Lyle Wegger?

Eu tenho que me lembrar desses nomes falsos. Rosemary sai. Eu tenho certeza de que ela irá mandar chamar os capangas da Scientology. Agora sou só eu e a Karen.

Então Dieter, você é um músico.

Ela sabe de tudo!

Muitos artistas vem aqui. John Travolta, Tom Cruise, Kirstie Alley…

Aah, do ‘Cheers’, certo?

Correto,” Karen diz, apontando para mim.

Sem mais brincadeiras. Eles trouxeram a Karen para a venda agressiva. O contato de seu olhar é mais intenso que o de Rosemary.

Você usa drogas, Dieter?

Ya, drogas!

Ela concorda com a cabeça. Ela conhece o meu tipo.

Você usa cocaína?

Não.

Maconha?

Não.

Que drogas você usa?

Eu rasgo um pedaço de Kleenex. “Eu uso aspirina… nicotina… oh sim, e heroína.” Karen fala sobre cursos que podem purificar o corpo de toxinas. Toxinas servem apenas para retardar o seu progresso! Então ela começa a explicar com grande detalhes sobre muitos, muitos outros cursos. Ela nem ao menos pisca durante sua explicação.

Eu estou começando a delirar. O meu sotaque alemão começa a falhar. Estou hipnotizado.

Logo me encontro de pé, ao lado de Karen, em frente de uma parede cheia de livros. Muitos deles estão sendo colocados em minhas mãos. Grandes livros de capa-dura com grandes etiquetas de preço. Scientologists são mais espertos que cristãos. Os cristãos tem só um livro para vender.

… e este é um livro de auto-avaliação…

Tudo começa a ficar embaçado. Logo irei enlouquecer de vez. Eles irão me encontrar no meio da noite, pelado, no meio de um escritório imaginário de L. Ron Hubbard. Eu preciso inventar uma desculpa e sair. Entrando em pânico, eu aponto para o relógio sobre a mesa dela.

OH, NÃO! Já passam das 7! Dieter faz aeróbica toda noite, precisamente às 7!

Karen se sensibiliza e me conforta. Eu digo a ela que irei retornar amanhã. Ela pede para voltar mais tarde naquela noite. Neste meio tempo, ela irá colocar um filme na TV a cabo do meu quarto. Eu agradeço a ela, dou meu autógrafo e saio.

Esperando pelo elevador, um homem sorridente se aproxima de mim. “Você gostaria de um tour pelo Celebrity Center?

Eu finjo que não entendo ‘inglês’.

__________________________________

O Tour de Dieter

No dia seguinte eu faço uma pausa e saio na rua para visitar a Exposição da Vida de L. Ron Hubbard, que ilustra a vida extraordinária do homem que se autoproclamou Deus de sua religião. O tour de uma hora e meia está localizado em um dos três edifícios que a Igreja da Scientology possui em Los Angeles. O prédio está completamente vazio, com exceção de uma pequena e sorridente mulher atrás da recepção.

Ya, posso ajudá-lo?

Espere um minuto. Esta mulher fala alemão como eu! Eu não acredito que esta é uma simples coincidência. Ela chama-se Helen e é da Suíça. Eu mudo de personagem rapidamente para Knute Johnson, o famoso acordionista de Nova York.

Eu pago U$ 5,00. O tour irá começar quando outras pessoas aparecerem. Eu descubro algumas coisas enquanto espero. Nancy Cartwright, a voz de Bart Simpson (em inglês), deve toda sua carreira para a Scientology. E também que L. Ron Hubbard foi um aventureiro/explorador/escritor/humanitário.

Finalmente um casal dinamarquês aparece; agora o tour pode começar. A pequena suíça deixa seu trabalho atrás da mesa para nos levar ao “Hall de Hubbard.” Tudo começa com os primeiros anos. Aqui estão alguns fatos:

Ron Hubbard foi o escoteiro Eagle mais jovem da América!
Ron Hubbard navegou para o oriente aos 16 anos!
Ron Hubbard uma vez escalou um vulcão em erupção!
Ron Hubbard escreveu roteiros de séries gangster e faroestes para Hollywood!

A pequena mulher suíça nos mostra centenas de novelas de ficção (Pulp Fiction) escritas por Ron Hubbard no início de sua carreira. Ele até mesmo usava a caneta chamada “Remington Colt.” Penso na grande ironia.

Helen, não é estranho que L. Ron Hubbard escrevia ‘pulp fiction’ enquanto o scientologist John Travolta estrelou no filme Pulp Fiction?

A pesquena suíça ri.

Sim! Sim!” Ela não tem idéia do que estou falando.

Helen então nos leva a um pequeno teatro. A cortina se abre e nós quatro nos encontramos sentados no escuro, vendo um vulcão de tamanho médio entrar em erupção. Uma tela desce do teto e nós assistimos a um filme sobre a Dianética. Eu sou bombardeado por cenas de péssimos atores de pele manchada. Espere um minuto! Eu já vi este filme antes! Este é o mesmo filme que estavam passando no meu quarto de hotel, o mesmo que Karen mandou passar no meu quarto.

Eu me viro para Helen “Eu já vi este filme!

Ela parece satisfeita.

Que bom!” ela diz, dando um tapinha no meu ombro.

A segunda parte do tour consiste em mais propaganda promovendo a Igreja da Scientology. Nós vemos uma exibição da história do E-Meter. Nós vemos um curta sobre os perigos do abuso de drogas. Nós vemos uma parede de fotos enumeradas sobre as “20 formas de viver uma vida scientologist.” Uma linda canção chamada “Ways of Happiness” começa a tocar ao fundo.

Eu encontro uma falha no sistema de enumeração. O número seis é “não faça nada ilegal,” enquanto os números 11 e 16 são “não roube” e “não mate”.

Helen,” eu pergunto, “os números 11 e 16 não são apenas espécies do número 6?

Helen não entende mas presume que é uma piada. “Sim! Sim!

__________________________________

A Fuga de Dieter

Após encher minha mala com todos os sabonetes, shampoos, toalhas e fronhas de cortesia da Scientology, eu estou pronto para terminar minha missão. Eu dou uma última olhada no quarto, para garantir que não esqueci nenhum item de cortesia.

Logo após colocar meu roupão de banho de cortesia na mala, o telefone toca.

Sim, alô.

A pessoa do outro lado parece um pouco confusa.

Sim, é o sr. Lietershvantz?

Oooops! Eu esqueci de ativar meu personagem esta manhã.

Aah, não. Aqui é o empresário dele. Aguarde um momento.

Eu coloco o gancho na mesa, conto até sete e pego ele de novo.

Ya! Aqui é Dieter!

Sr. Lietershvantz, a Karen mencionou que você gostaria de encontrar-se com ela esta manhã.

Isto está começando a dar nos meus nervos. É necessário ser rude.

Scientology não é para Dieter!

Eu desligo o telefone. Essas pessoas são como vendedores religiosos de carros usados. Eles são muito insistentes para vender seu placebo (comprimido de farinha).

Eu estou pronto para ir embora, mas penso que o quarto provavelmente está grampeado (o prato de frutas de cortesia, provavelmente), então eu tiro os lençóis e cobertores de cortesia da mala e vou fazer o check out.

Só porque eu me hospedei e não me converti a Scientology, me sinto como se estivesse saindo de um restaurante sem pagar. E se for pego, eles irão me obrigar a lavar os pratos.

Eu chego à recepção e lá está o gordinho Leonard.

Eu espero que tenha tido uma maravilhosa estadia, Sr. Lietershvantz. Você irá voltar ao Celebrity Center em breve?

Dieter não voltará!

Por sorte, minha carona está me esperando. Eu peço ao meu amigo para tirar algumas fotos na frente do letreiro do Scientology Celebrity Center, para a posterioridade.

Enquanto faço uma pose de estrela do rock com meu violão e cigarro, um capanga da Scientology me aborda. Ele está sorrindo e falando em seu walkie-talkie.

Vocês são scientologists?

O capanga é bem apessoado, bem vestido, mas em uma roupa diferente dos outros. Eu desisto do meu sotaque.

Não, eu estava hospedado aqui no hotel. Eu quero tirar algumas fotos para mostrar para minha avó.

Ele fala suavemente ao walkie-talkie.

Oh, você é o Sr. Lietershvantz, o músico alemão!

Sim, sim, sim. Sou eu.

Nós tiramos nossas fotos e saímos. Eu estou feliz por estar longe do alcance dos scientologists. Eu estou bem longe do seu alcance. Eu me sento, pronto para relaxar na frente da TV. Eu a ligo. Ali está Kirstie Alley! É um episódio do Cheers! Eles sabem de tudo!

Clique AQUI para abrir o índice dos posts mais importantes a respeito da organização criminosa autodenominada religião (O que é Cientologia, Dianética, Quem foi seu fundador L. Ron Hubbard, O Grande Segredo da Cientologia)

Anúncios

3 thoughts on “Minha Vida como Celebridade Cientologista

  1. Lamentável quando pessoas não conhecem alguma matéria, baseiam-se em críticas de interesses, exatamente contra quem de fato estudou a PSIQUE – Espírito ou pensamento.
    Não existe nenhuma Ciência que o tenha feito de fato, senão a CIENTOLOGIA e DIANÉTICA.

    Existem pessoas e entidades que desejam fazer PROPAGANDA ENGANOSA, como o caso famoso da Revista TIME – Que alardeou o mundo todo com a Matéria:
    A Seita do Poder e do Dinheiro, cuja jornalista foi processada e PERDEU a ação jucial para a CIENTOLOGIA, que doou os milhões de dólares para entidades filantrópicas.

    POR QUE não colocam aqui o depoimento de ilustres defensores como JOHN TRAVOLTA, TOM CRUISE, DUSTIN HOFFMAN, TOM HANKES e a lista é grande.

    Sempre tem alguém que por algum motivo, torna-se um desafeto, mas CRITICAR sem CONHECER os fatos é MUITA IRRESPONSABILIDADE!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s