A Cientologia Hoje

A cientologia, seita fundada por L. Ron Hubbard, escritor de ficção científica, está sendo combatida em frentes espalhadas por todo o mundo.

Recentemente, a seita foi objeto de denúncia no Parlamento Australiano, pelo Senador Nick Xenophon. O Primeiro Ministro Kevin Rudd também manifestou suas preocupações a respeito das denúncias de abusos e crimes cometidos pela organização ao redor do mundo e está analisando a instauração de um inquérito parlamentar para investigar as atividades da organização no país.

Além da Australia, a seita enfrenta problemas em outros países. Um livro lançado recentemente nos EUA, “Blown for Good: Behind the Iron Curtain of the Church of Scientology”, escrito por Marc Headley, que foi empregado da sede da seita em Los Angeles por 15 anos, detalha, assim como muitos outros já fizeram, abusos diários e episódios bizarros occoridos por trás dos bastidores. Um exemplo foram as três semanas que Headley diz ter passado sob o comando de Tom Cruise, que instruia seus subordinados a como mover garrafas e outros objetos com a mente.

Este ano a seita sofreu muitos ataques, tanto pelas revelações comprometedoras de desertores do alto escalão quanto pelas investigações inéditas da mídia a respeito de suas chamadas práticas religiosas.

No mês passado a seita escapou por pouco de ser banida na França após ser processada por fraude. Quatro de seus líderes foram condenados (com suspenção condicional da pena) por terem perseguido financeiramente diversos “fiéis” na década de 90.

Na Bélgica, a seita também é objeto de uma longa investigação criminal.

Mas não é apenas no campo criminal que a seita tem sofrido derrotas. Para uma organização que orgulha-se de seus ricos e famosos fiéis de Hollywood, a perda de alguns deles como o ator Jason Beghe e o diretor vencedor do Oscar Paul Haggis, “fiéis” por décadas que alcançaram níveis avançados na “Ponte da Liberdade Total”, foi no mínimo embaraçoso.

Jason Beghe foi a primeira grande celebridade a desertar, após 12 anos e um milhão de dólares doados.

Haggis abandonou a seita por causa da sua recente atitude em relação ao casamento gay, conforme sua carta de repúdio a cientologia escrita a Tommy Davis, porta-voz da seita. A carta de repúdio foi postada no blog pessoal do diretor, e ainda continha outra acusação: Tommy Davis mentiu em rede nacional ao falar sobre uma prática importante na cientologia: a desconexão.

Haggis disse ter ficado perplexo ao ver um clip da CNN onde David nega que a igreja pratica a “desconexão” ao forçar seus membros a cortar todas as relações com não-membros que desaprovam suas crenças.

“Eu fiquei chocado”, escreveu Haggis. “Todos nós sabemos que essa política existe. Eu não tive que pesquisar para comprovar – não precisei olhar para além de minha própria casa.” Em seguida, Haggis descreve como sua própria esposa recebeu ordens da seita para desconectar de seus pais por causa de algo irrelevante que supostamente teria ocorrido anos atrás. Sua esposa obedeceu as ordens e ficou sem conversar com seus pais por um ano e meio. “Isso não é história antiga, Tommy. Isso foi um ano atrás… ver você mentir tão facilmente, tenho medo de perguntar: sobre o que mais vocês estão mentindo?”

No ano passado, um vídeo de distribuição interna vazou na internet. Tom Cruise, um dos membros mais famosos da seita, ri compulsivamente enquanto diz que os cientologistas são os únicos que possuem o conhecimento necessário para curar a maior parte das doenças no mundo, inclusive o crime, drogas, problemas mentais e violência.

Considerada uma religião para alguns, um negócio para outros, e uma seita para muitos, os membros da elite da organização utilizam falsas fardas da Marinha.

Os “dogmas” religiosos da seita são uma mistura de lições de auto-ajuda terapêutica (somente no início) com metafísica de uma novela espacial esquisita, que somente é revelada aos ministros do mais alto escalão.

A seita tem sido acusada frequentemente de destruir famílias e ser uma predadora voraz de pessoas mais vulneráveis. A história da cientologia contra seus críticos têm sido contada em cortes judiciais espalhadas pelo mundo, fazendo a fortuna de advogados da seita, dinheiro este pago pelos “fiéis” da organização, em livros, cursos e as famigeradas “audições”.

Frequentemente utilizada nas cortes judiciais, uma citação atribuída ao próprio Hubbard deixa claro que o objetivo principal das ações judiciais é utilizar a lei para assediar, e se possível arruinar moral ou financeiramente os críticos e desertores da seita. Ganhar ou perder o processo não importa.

A seita já tentou processar muitos jornais que noticiam suas peripécias. A conceituada revista Time Magazine ganhou um processo de U$ 400 milhões, movido pela seita, após uma edição da revista retratar a seita como “A Seita da Ganância”. A seita também persegue autores, desertores e rivais que escreveram contra ela. Ela também perdeu processos que tinham por objetivo tornar os detalhes de suas práticas material protegido por direitos autorais e segredo comercial.

As repetidas tentativas de calar seus críticos têm sido criticadas nos julgamentos, incluindo uma decisão judicial de 1996 que descreveu que a “história documenta e comprovada o comportamento vexatório e o abuso do sistema de cortes federais (dos EUA) para destruir seus oponentes ao invés de resolver uma disputa real sobre questões de direitos autorais ou outra matéria legal.”

Quando o Senador Australiano Nick Xenophon chamou a seita de organização Criminosa, ele tornou-se apenas o último crítico de uma fila interminável. Xenophon tomou uma decisão complexa – utilizou sua proteção parlamentar para denunciar uma organização que, segundo ele, abusa de seus seguidores, ataca traiçoeiramente seus críticos e é dirigida por paranóicos. O alvo do Senador é simples: desafiar o status de “religião” da seita e derrubar a isenção tributária concedida a ela na Austrália.

O discurso do Senador detalharam as agressões físicas feita por David Miscavige em seus subordinados, e levou à maior audiência possível um resumo das acusações recentes e antigas contra o líder da seita, e em poucos minutos seu discurso se espalhava pelo mundo todo.

O Senador continuou acusando a seita de cárcere privado, abortos coagidos, desvio de fundos, violência física, extorsão e a prática comum de abusas das informações obtidas pela organização”. No centro do discurso longo e apaixonado do Senador, acusações feitas por Aaron Saxton, que “nasceu” dentro da cientologia e alcançou altas posições de influência dentro da filial de Sydney e da sede nos Estados Unidos.

Os abusos contra Saxton começaram em sua infância, quando sua mãe foi coagida a entregar a guarda dele para a organização. Saxton tornou-se um segurança da seita aos 16 anos de idade. Em 1991, Saxton foi mandado para o quartel-general da seita na Florida. Naquele local, ele foi envolvido em diversas atividades, sendo uma manter 5 pessoas presas em cárcere privado e apreender documentos que ligavam um funcionário da seita em um caso de homicídio.

Saxton informou também que mulheres que se sentiam grávidas eram levadas para escritórios e assediadas para terem um aborto. Caso recusassem, elas eram repreendidas com demoções dentro da organização e penalizadas com trabalhos forçados. Saxton descreve como uma colega de equipe utilizou um cabide para abortar, tudo por medo das punições, mas que por fim ela foi dispensada e seus arquivos destruídos.

O Senador descreve ainda a história de Paul Schofield, que em uma carta admitiu ter participado de uma farsa para esconder as circunstâncias que cercaram a morte de duas de suas filhas, também cientologistas.

O surgimento de uma oposição cada vez mais poderosa com participação global, e de um movimento com raízes na Internet auto-denominado de Anonymous têm abastecido essa guerra contra a seita, com ataques de DNS aos websites da organização, postagem de material confidencial, incentivo para que desertores saiam das sombras e compartilhem suas experiências dentro da seita, por mais dolorosa que elas sejam.

Marty Rathbun e Mike Rinder, dois dos mais altos executivos a deseratem da seita recentemente, participaram de uma série de entrevistas promovidas pelo jornal St. Petersburg Times, uma das vozes mais ativas contra a organização. Rinder diz ter sido agredido fisicamente por David Miscavige mais de 50 vezes. Ambos descrevem ainda o complexo sistema de justiça interna, enforçada por “security checks” e ameaças de isolamento social causado pela declaração de “pessoa supressora”.

Após um ano terrível para a seita de Tom Cruise, o ano que vem promete ser ainda pior.

2 thoughts on “A Cientologia Hoje

  1. Palhaçada mesmo ! E o que é pior ainda pode piorar ! Realmente incrível, mas por outro lado graças a Deus a verdade nua e crua desta seita catastrófica, está sendo revelada as pessoas, que por si só podem decidir se para elas é o certo ou errado. A meu ver é um tremendo de um abacaxi, né …..mas, não posso decidir pelos outros. Mas, que fique registrado aqui a minha indignação e a de outros também, só para o que efeito seja preventivo e se estenda a todas as pessoas !
    Fiquem na Paz !

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s