Filme para a TV oficial alemã retrata o lado negro da Cientologia

Baseado em uma história verídica

Por Martin U. Müller, Der Spiegel Online.

Nota explicativa: “Desde a segunda-guerra mundial, há uma lei na Alemanha que determin quea, além das companhias privadas de mídia e corporações de TV,  é obrigatória a existência de uma rede de TV oficial do governo federal. Esta é a ARD.” – anona-hh no whyweprotest.

“Um novo filme para a TV conta a história de um homem cuja vida familiar foi destruída após ingressar na Igreja da Cientologia. O drama, que é baseado em uma história verídica, foi filmado em segredo para evitar que a organização tomasse qualquer medida judicial contra o projeto.

Caso Heiner von Rönn fizesse uma lista das pessoas e coisas que ele perdeu para a Cientologia, ela seria extensa. Estariam incluídos milhares de euros, 10 anos de sua vida, sua ex-esposa e seus dois filhos.

Heiner von Rönn

Heiner von Rönn

Quinze anos após abandonar a organização, recentemente Rönn encontrou-se enfrentando seu próprio passado novamente, desde a terminologia até as ameaças daquela época. Ele estava no set de filmagem de uma produção da TV alemã, onde salas de um escritório da Cientologia foram meticulosamente recriados. O drama de TV, cuja trama foi inspirada pelos eventos reais na vida de Rönn, lida com uma família que se desintegra por causa da organização, que na Alemanha é considerado mais um negócio do que uma igreja e é monitorada por agências de inteligência doméstica.

A equipe do Southwest Broadcasting (SWR), a emissora pública responsável pelo projeto, trabalhou em um nível de segredo incomum. Sinais, roteiros e até mesmo a claquete do diretor traziam um título falso, “The Dead Man in the Sound” – algo como “O Som de Um Homem Morto”, em uma tentativa de disfarçar o tema verdadeiro do projeto. A filmagem, que foi produzida pelo consórcio alemão de emissoras públicas ARD, ocorreu em completo segredo. Os criadores planejam tornar o projeto público pela primeira vez nesta semana, com a apresentação do filme pronto na terça-feira. O drama irá ao ar em 31 de março, sob o título “Until Nothing is Left (em alemão ‘Bis Nichts Mehr Bleibt’)” – algo como “Até que Não Reste Nada”.

Este será o primeiro longa metragem alemão a respeito da Cientologia, o primeiro a retratar o controverso sistema de crenças em horário nobre. Teria a ARD ficado mais corajosa? Ou teria a Cientologia simplesmente ficado mais inofensiva?

Períodos de Paranóia

Em anos anteriores, ARD tem frequentemente transmitido filmes sobre questões sociais delicadas, tais como o escândalo envolvendo a Talidomida, que na Alemanha é conhecida por Contergan. Agora, porém, a emissora focou sua atenção em uma organização que tem a reputação de agir brutalmente contra seus críticos e jornalistas. Mas a paranóia da ARD durante a produção é justificável?

Carl Bergengruen, diretor dos filmes para TV da SWR, defende o segredo com o qual o filme foi feito. “A Cientologia utilizou uma variedade de métodos para tentar descobrir detalhes sobre o projeto,” diz ele. “Nós tinhamos razões para estarmos preocupados que a organização poderia usar todos os meios legais à sua disposição para impedir a transmissão do filme.” E o projeto foi mantido sob os lençóis pelo tempo que foi possível, por segurança.

Ainda assim, a equipe foi passou por períodos de paranóia. Em uma ocasião, surgiram relatos no set de que um homem que age como uma espécie de porta-foz para a Cientologia havia sido visto. Em outra ocasião, um dos informantes de Niki Stein descobriu que o porta-malas de seu carro havia sido arrombado. Ele não pensou em nada, até que o telefone de Stein tocou — e ele lembrou-se dos notebooks que ele havia deixado no porta-malas. “Nós sabemos que você está fazendo um filme sobre a Cientologia,” disse a voz do outro lado da linha, antes de desligar. Quando perguntados sobre o incidente, a Cientologia nega qualquer envolvimento.

Perdendo o Traço da Vida

Apesar de não ter ocorrido outros incidentes daquela natureza, Rönn continuou tendo uma sensação de desconforto durante as filmagens. Ele é um homem quieto, e frequentemente olha para sua atual esposa, Astrid, pedindo ajuda enquanto relata suas histórias. “As coisas eram assim, em minha opinião, diz ela, e responde em nome de seu marido.

Ela, também, estava envolvida com a Cientologia. Ela abandonou a organização com Rönn, enquanto sua primeira esposa permaneceu — junto com seus filhos.

Astrid von Rönn é melhor em guardar nomes, datas e eventos, enquanto seu marido Heiner algumas vezes parece perder o traço de sua própria vida. Talvez isso ajuda a explicar como adultos podem começar a acreditar em coisas como “thetans” (um conceito na Cientologia similar à alma) e gastar centenas de milhares de euros em vitaminas e as chamadas sessões de “audição”.

Rönn nunca havia ouvido falar de Cientologia antes de ser convencido a participar de um “curso de comunicação” em 1984. Sua mulher à época já estava involvida com a organização a alguns meses, tendo sida persuadida a ingressar pelo seu irmão. Rönn levou mais de 10 anos para sair. Quando conseguiu, ele estava profundamente em débito e socialmente isolado. Sua vida familiar estava em frangalhos. Rönn sentiu que deveria dar um sentido às suas experiências, ao menos em retrospectiva, ao servir de aviso para os outros. Foi assim que ele acabou se envolvendo com o projeto da SWR.

Parte 2: Lutando pela Custódia

O filme de 89 minutos conta a história de um homem que acidentalmente envolve-se com a Cientologia e acaba lutando pela custódia de seus filhos. A trama também inclui uma viagem a uma espécie de campo de disciplina que é parte do quartel-general da organização na Europa, bem como o súbido desaparecimento de sua esposa em um centro na Flórida e sua filha sendo enviada para uma internato secreto.

ARD investiu €2.5 milliões (cerca de R$ 7 millhões) no filme. Carl Bergengruen da SWR investiu essa quantia em pesquisas minuciosas, bons atores e reconstrução precisa dos locais.

Apesar da alteração de alguns detalhes da história, é emocionante ver até onde Rönn está disposto em lidar com sua própria história. Mas agora ele está preocupado que alguém possa envenenar seu cachorro ou quebrar suas janelas.

Até o momento, este tipo de material era considerado impossível de ser filmado por razões legais. Os criadores de filmes tinham a certeza de que a Cientologia iria processá-los para impedir a transmissão de qualquer filme que trate da organização. No entanto, a mídia germânica estava cheia de debates sobre a compatibilidade da organização com a Constituição Alemã e as histórias de terror a respeito de lavagem cerebral dentro do grupo. Não havia meio termo.

Sob Monitoramento

Agora Bergengruen preencheu o vazio. O incentivo para o projeto foi ninguém menos do que o ator e celebridade Cientologista Tom Cruise. Quando Bergengruen viu Tom Cruise sendo mostrado com respeito quando recebeu um prêmio de prestígio da mídia alemã em novembro de 2007, ele decidiu dar um basta.

Mas há outro motivo pelo qual este assunto dramático está sendo tratado como uma peça de entretenimento em horário nobre. Controvérsias da vida real geralmente recebem tratamento fictício após a passagem de um certo tempo com o ocorrido. E muitos anos se passaram desde o combates mais intensos entre o Estado Alemão e a Cientologia.

Ainda assim, O Escritório para a Proteção da Constituição, uma agência de inteligência doméstica, que monitora atividades da Igreja da Cientologia na Alemanha, ainda considera a organização tão perigosa quanto antes. Em uma decisão de 2004, uma corte administrativa em Cologne decidiu que haviam boas razões para “monitorar” a organização, “especialmente utilizando métodos de serviços de inteligência”.

Realidade Amarga

Heiner von Rönn foi convidado para assistir a pré-estréia do filme para TV com a equipe de filmagem. Rönn sentou-se na fileira da frente da sala de projeção, juntamente com seu cachorro. Quando surgiu a cena em que o protagonista vê seu filho pela última vez, Rönn começou a chorar.

O filme termina com aquela cena. A vida de Rönn, no entanto, continua. Após o filme, eles o levaram para sua casa de três cômodos na periferia de Hamburg. Astrid von Rönn usa o antigo quarto das crianças para guardar as roupas da lavanderia. E essa é a realidade de suas vidas.”

Atualização: Trailer com legendas em inglês (está um pouco confuso, mas dá para entender a idéia).

Fotos feitas nas filmagens:

Until Nothing is Left

Set de filmagem, os atores em um escritório da organização criminosa

Until Nothing is Left

Until Nothing is Left, o ator que retrata Heiner von Rönn, de blusa azul à esquerda

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s